Pelos passeios de São Paulo…

Falar de calçadas é também tratar de um tema que se tornou um dos principais desafios das metrópoles contemporâneas: trata-se da mobilidade urbana.

Você sabia que em São Paulo mais de 30% da população se locomove a pé?

Traduzindo em números, cerca de 14 milhões de pessoas utilizam as calçadas de São Paulo para deslocar-se todos os dias: Os motivos são os mais variados e as distâncias também.

O fato é que a locomoção e o deslocamento acontecem sobre um tipo de espaço livre peculiar: as calçadas. Mas, o que é uma calçada? Quais são os elementos que a compõe?

O Decreto Municipal 45.904 de 2005 define os elementos que compõem uma calçada e descreve as 5 faixas que descreveremos as seguir:

– a primeira é a sarjeta, ou ainda, o local por onde escorrem as águas das chuvas, por exemplo, e que fica entre o leito carroçável e a guia. A guia é a elemento que separa a sarjeta da calçada.

sarjeta 3
Fonte

 

– em seguida, vem a faixa de serviço que é aquele espaço de no mínimo 75 cm,  destinado à instalação de equipamentos e mobiliário urbano como vegetação, tampas de inspeção, grelhas de exaustão, de drenagem, lixeiras, postes de sinalização, iluminação pública e eletricidade, floreiras, caixas de correio, telefones públicos e mais dezenas de outras interferências colocadas por permissionárias e concessionárias públicas.

– Logo depois vem a faixa livre, ou seja, aquele lugar em que o pedestre anda livremente e que possui superfície regular, firme, contínua e antiderrapante com largura de, no mínimo, 1.20 m. Trata-se de espaço suficiente para duas pessoas andarem lado a lado. Este lugar tem inclinação transversal de até 2%, ou seja, quase imperceptível para quem está andando mas, que permite, que a água de chuva escorra para a sarjeta sem empoçar no meio do caminho. Quanto à inclinação, ela tem que se igual à da rua: nada daquilo de fazer degraus, escadinhas e várias outras soluções que a gente encontra todos os dias por aí e que nada mais são do que soluções criativas para facilitar a vida particular dos donos dos imóveis ou seja, facilitar a entrada do carro na garagem, servir de apoio para mesas de bares e restaurantes por exemplo.

– Depois temos a faixa de acesso que é a área destinada à acomodação das interferências que são resultantes da implantação, do uso e da ocupação das edificações existentes na via pública. Trata-se da colocação de jardins, floreiras, lixeiras e quaisquer outras necessidades do edifício que está em frente a ela. De qualquer forma, precisa de autorização da prefeitura e só é recomendável para calçadas com mais de 2 metros de largura.

– Por fim o decreto apresenta as esquinas incluindo a intervisibilidade. A esquina constitui o trecho do passeio formado pela área de confluência de 2 (duas) vias. 

boletim lei calcadas_menor_c (1)
Fonte

No evento Calçada-Cilada realizado aqui no FIAM-FAAM Centro Universitário em 01 de abril de 2016, algumas sugestões para a melhoria da vida das pedestres foram apontadas.

O evento contou com a participação de alguns convidados que tratam do assunto. São eles o jornalista Marcos de Souza (MOBILIZE), a arquiteta Meli Malatesta (Cidade a pé e também da ANTP), Andrew Oliveira (Corrida Amiga), Luiz Eduardo Bretas (SPUrbanismo) e Ramiro Levy (Cidade Ativa).

Destaquei algumas mas, se você quiser conhecer as demais, acesse o vídeo do evento aqui:

  • Ampliação das calçadas, passeios e espaços de convivência;
  • Redução de quedas e acidentes relacionados à circulação de pedestres corrigindo e readequando calçadas existentes ou seja, projetando e implantando as cinco faixas ou quando não houver espaço, ao menos as três primeiras – guia e sarjeta, faixa de serviços e faixa livre de 1.20 para o deslocamento;
  • Por fim, a padronização e readequação dos passeios públicos em rotas com maior trânsito de pedestres;

Mas tem uma ação que considero fundamental: por meio de campanhas educativas promovidas pela prefeitura e também por meio das ações criadas pelo ativismo civil organizado, conscientizar os cidadãos da importância das calçadas como um dos elementos que compõem o espaço público das cidades lembrando sempre que a qualidade dos espaços destinados aos cidadãos caracteriza o nível de civilidade de um país. Se quiser saber mais, acesse a Agenda 2030 e Project for Public Spaces.

Texto original: Blog da Paisagem

TROTE SOLIDÁRIO: mais uma reforma relâmpago!!!

O Trote Solidário 2015 será realizado no INSTITUTO DA CRIANÇA – HOSPITAL DAS CLÍNICAS/SP por uma ação voluntária dos alunos e professores do curso de Design de Interiores da FIAM FAAM.

Objetivo: Desenvolver uma ação social e educativa, envolvendo estudantes e professores de Design de Interiores no processo de reforma de dois ambientes no Instituto da Criança, para juntos proporem soluções de melhorias adequadas aos frequentadores do local, familiares e médicos.

Proposta: Reformar a SALA DOS ACOMPANHANTES e a SALA DOS MÉDICOS localizados no 4° andar do INSTITUTO DA CRIANÇA – HOSPITAL DAS CLÍNICAS/SP.

Organização Renata Mello, co-organização Rafael Jun Mabe (vídeo e projeto),Lu Traldi e Skarlen Fialho Soria Galvarro Francine Trevisan Mancini
Alunos: Ma Simões, Carol Postacchini Luciana Alves Zanoni Karolina Martins, Ana Carol, Caroline Queiroz, Su Hee Oh, Bruna Santos, Jussara Oliveira, Aline Cofan, Jacqueline Felix de Lima, Thuyanne Monteiro, Caroline Queiroz. Enill Avalle

E não é que dá para fazer um trote usando tinta de forma produtiva?

Diário de classe:  Trote Solidário!

Todos os dias estaremos publicando as ações de nossos alunos!

Sigam as novidades!!!

Amparo Maternal 2015

No FIAMFAAM Centro Universitário, o Trote Solidário é coisa séria.

Trata-se de uma construção coletiva organizada por alunos veteranos, apoiada por uma dedicada rede de professores e colaboradores voluntários que atuam na constituição de uma sociedade mais justa e que difundem, por meio da educação, os princípios e ações que valorizam o ser humano, promovem o progresso social e a melhoria das condições de vida.

Para quem se dirige o trote e onde será realizado?
Bazar do Amparo Maternal

Quem são? 
O Amparo Maternal é uma Instituição filantrópica com 75 anos de história em assistência a gestante de todo País pelo Sistema Único de Saúde – SUS. Nasceu da concepção de que nenhuma parturiente na cidade de São Paulo deveria ficar sem um local adequado para dar à luz. (texto do site)

Por que o Amparo Maternal?
Alinhado com as políticas de relacionamento com a comunidade, o FIAMFAAM Centro Universitário apoia ações que valorizem a qualidade das relação sociais e a melhoria da qualidade de vida por meio de ações educativas afirmativas.

Quem participa?
Alunos, colaboraadores e professores do curso CST Design de Interiores (organizador) e Comunicação Social.

Data do trote
dia 27.02.2015 das 8h às 11h30m

Como começou tudo isso?

No finalzinho de 2013, a Profª Renata Mello propôs uma parceria entre o Amparo Maternal e o Escritório Modelo do Curso de Arquitetura e Urbanismo. E por que não apoiar também pelo desenvolvimento de projetos, essa ONG? Praticamente vizinhos, agendamos uma reunião e fomos muito bem recepcionados. O lugar é incrível e atende centenas de mães gratuitamente de forma impecável.

Desde o final do ano passado, fui procurada por um conjunto de alunos que estavam no final do curso. A alunaEliane Parente tomou adiante a proposta de inciar as ações para o Trote Solidário. Nele, alunos veteranos deveriam dar as boas vindas aos alunos ingressantes de um forma singular: mostrando aos calouros que é possível já no começo do curso, aplicar os conhecimentos adquiridos em sala de aula e fora dela, na profissão para o bem social. E assim, já no início do semestre, começaram as atividades que tinham várias metas:
– integrar alunos
– integrar o FIAMFAAM com a comunidade ampliando o relacionamento entre a escola e o bairro.
– acolher calouros e mostrar que aprender na prática é possível e pode ser uma atividade que envolve a pintura de forma produtiva – se a pintura caiu na roupa ou na pele, foi por descuido e não por imposição… rs
– melhorar o nosso dia e nossa vida agregando valor social por meio de ações construtivas.

A Organização do Trote Solidário

Os organizadores professores do CST Design de Interiores, ou ainda, aqueles que literalmente estão “colocando a mão na massa” e trabalhando para que o trote seja um sucesso!
Adriana Valli Mendonça; Francine Trevisan; Giuliana Sampaio, Lilian Machado.

Logo depois, mais alguns colegas foram à luta – todos os dias, esta área estará sendo atualizada…
Rafael Jun Mabe, Ricardo Granata, Paulo Sampaio, Renata Mello, Fernanda D’Agostini.

Os alunos organizadores:
Jéssica D’Moura, Tanila Correa, Maria Silva, Bruna Santos, Rodrigo Pereira, Eliane Parente

Data de início – 12.02.2015
bazar Amparo Maternal

Fomos conhecer o local que seria objeto de intervenção: o bazar do Amparo Maternal. Repleto de roupas semi-novas e
objetos diversos em excelente estado, o bazar está localizado na Rua Napoleão de Barros, 1035.
visita ao bazar do amparo maternal

Neste dia os alunos veteranos e os ingressantes iniciaram o levantamento fotográfico e o físico com
o objetivo de realizar um diagnóstico do local e desenvolver as propostas de intervenção.

Etapa 2 – Diagnóstico e levantamento

Vejam as imagens enviadas pela Profª Giuliana Sampaio que mostram parte do levantamento realizada pelo calouro Israel Oliveira – parabéns!

sketchup Israel Oliveira

sketchup Israel Oliveira

Etapa 3 – A proposta de intervenção

Após inúmeras reuniões, as organizadoras chegaram à algumas propostas. Sintetizada pela Profª Francine, temos a imagem do que se pretende realizar durante o trabalho.

proposta de intervenção Amparo Maternal

AMPARO MATERNAL_LAYOUT1

Etapa 4 – Mão na Massa!!!

Antes de pintar, nada melhor do que uma palestra para calouros sobre o uso correto de tintas como revestimento… associada a uma oficina de pintura!

Palestra da Suvinil!

Sala cheia…  não dá para sair “pintando por aí” de qualquer jeito… o trabalho precisa sair perfeito: tudo por uma boa causa!

mais momentos com Suvinil

Sobre PALLETS e reciclagem de materiais… um pouco do antes e depois:

decupagem 1

 

Nova Vida: reciclando

Mesmo com tintas e pincéis, a elegância é fundamental.
Nossos alunos além de socialmente responsáveis, modéstia à parte, são lindos!

elegânica é fundamental em nossa área de atuação - linda na maquetaria 1

Palestra do Professor Paulo Sampaio  para a as voluntárias do Amparo Maternal.
A conversa foi excelente!

Prof. Paulo Sampaio Palestra 1
sampaio 2
Marketing Social: Relacionamento com clientes
Local: Prédio da FMU-FIAM-FAAM – Vila Mariana II
Rua Agostinho Rodrigues Filho, 201
SALA B15
16:00h

 

Mão na massa: dá para ser feliz aprendendo a lixar, pintar e construir?

feliz 1   123

 

trabalho duro 1

 Eles não se intimidam com trabalho difícil… tudo por uma boa causa!

              O Processo: do desmonte à construção coletiva

trabalhando...trabalhandotrabalhandodando duro 4trabalhando

construção 3

trabalho 1

trabalho 2

O GRANDE DIA CHEGOU!!!

inauguração 1

inauguração 6inauguração 7inauguração 8

 

 

 

 ANTES e DEPOIS!

Por meio de uma série de imagens, os leitores poderão observar as mudanças!


trote 6
trote 7
trote 8
trote 9
trote 10

Inauguração, e não é que logo após a inauguração

o bazar já recebeu a primeira cliente?

Bem-vinda Sofia! 

Sofia

Bem-vindos todos!

Nós, professores e alunos do FIAMFAAM Centro Universitário somos gratos pela confiança e por termos podido vivenciar e colaborar cm o trabalho do Amparo Maternal.

E que venham novas ações sociais. Nossos alunos, colabores e professores estão prontos!

Foi um prazer!

Relação dos alunos participantes:

trote 11

ALESSA MARTINS SILVA , ALINE CARDOSO DOS REIS , AMANDA NERI FREITAS , ANDRESSA CRISTINA PEREIRA DA SILVA, ARIANE SOUSA SANTOS , BRENNA SILVA LIMA , BRENO GASQUES DE MORAES, EMILE DE SOUSA FREITAS , FRANCIELLY COSTA MENDES, GEISA FERREIRA COSTA , GIL RONE ROBERTO GUIMARAES DO NASCIMENTO, HENRIQUE DE LIMA , IANE NUNES MACHADO , JESSICA DA SILVA FRANCISCO, JESSICA SANTOS DE SOUZA, JOICE ROCHA MACIEL, LARISSA FERREIRA SILVA , LUANA DE SOUZA FERREIRA, LUCIANA MACIEL FERREIRA , MAIARA DA SILVA SANTOS , MARICY MONTEFORTE , MONIQUE MARIA DE CARVALHO , NADIA SANTOS HERNANDES BONDESIO , NATALIA MACIEL BARBOSA DA SILVA, PALLOMA TELES , PAULO RICARDO INOJOSA ZANZINI , STEFANY NASCIMENTO FELIX, VALERIA THAMIRIS ALVES MOREIRA , VALTER PEQUENO , VITORIA CANDIDO FARISA DA SILVA, HÉLEN CAMPOS DE MENEZES, JÉSSICA FARIA SALAZAR, Karine Gomes de Oliveira, Maria Silva Bruna Santos, Eliane Parente, Jéssica D’Moura, Maria Silva, Rodrigo Pereira, Tanila CorreaÉrica de Brito

saiu na mídia:
http://portal.fmu.br/noticias/4066/trote-solidario-rende-troca-de-aprendizado.aspx

Os números de 2014

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 56.000 vezes em Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 21 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Revista Casa Projeto & Estilo: Luxo & Acessibilidade

Danielle Rey, Emmanoel Pires, Érika Nunes, Fábio Yasumoto, Lucas Crepaldi e Olavo Leme

Alunos:
Danielle ReyEmmanoel PiresÉrika Nunes, Fábio Yasumoto, Lucas CrepaldiOlavo Leme
ProfessorasHelena Degreas e Renata Mello
Escritório ModeloAcessibilidade Universal
CursosDesign de Interiores e Arquitetura e Urbanismo

Clientes:

Família contemporânea formada pelo casal (ele é jornalista, 45 anos com habilidades funcionais motoras reduzidas e ela, arquiteta, 40 anos e 1.50m) e três filhos (meninos de 10 e 18 e menina de 16), tem vida social intensa. Encontros, recepções, festas, reuniões de amigos e família fazem parte da rotina de todos os seus membros. Para atender a demanda, os ambientes foram integrados tanto física quanto visualmente sem perder as qualidades estéticas e o conforto. Tecnologias de ponta e planejamento de sistemas áudio e vídeo compõem os espaços que acomodam as atividades de lazer e recreação de todos.

Revista Casa Projeto & Estilo FIAMFAAM - apartamento acessível

Estilo

Moderno, arrojado e sofisticado, o projeto propõe ambientes compostos por materiais, revestimentos e mobiliários com design exclusivo de vários arquitetos e designers, dentre eles, Philippe Starck . As ambientações foram realizadas utilizando uma paleta de cores neutras como branco, preto, beges e cinzas pontuadas estrategicamente com cores vibrantes como amarelo, dourado e vermelho que surgem tanto de objetos decorativos quanto das obras de arte contemporânea distribuídas pelo apartamento.

Casa Projeto & Estilo FIAMFAAM Centro Universitário arquitetura e Design de Interiores

As adaptações

Funcionalidade e eficiências na circulação e acesso a todos os ambientes, mobiliários e equipamentos associado ao luxo, transformaram-se no desafio central para a concepção do projeto. É possível atender clientes com habilidades funcionais diversificadas atendendo às exigências estéticas de todos? A utilização dos princípios de desenho universal, da NBR9050 associados às especificidades ergonômicas e funcionais de cada um de seus membros levaram ao projeto de ambientes que utilizaram predominantemente produtos existentes no mercado de decoração e design. Ajustes nas alturas de poltronas, pufes, mesas e sofás, posicionamentos de tomadas, previsão de circulações amplas e sem barreiras (tapetes foram inseridos em recortes de piso e fixados) e adaptações em bancadas (lavatórios, pias) foram adotadas com o objetivo de gerar qualidade de vida aos seus membros.

Casa Projeto & Estilo FIAMFAAM Centro Universitário arquitetura e Design de Interiores

02

003

004

Living e Family room

Sala de estar, home theater, adega, espaço para leitura, sala de jantar apresentam circulações amplas entre os ambientes viabilizando giro completo da cadeira de rodas e espaços para estacionamento e transferência para o usuário.

Lavabo e suítes

Sofisticado, o desenho das bancadas ajusta-se à altura de seus usuários a partir de acionamento de um botão. As barras de apoio com design alemão, confundem-se com os acessórios assinados. As suítes contam com TVs Magic Mirror em painéis de vidro, chuveiros de teto, duchas manuais e banco retrátil (casal) em Corean, material durável e higiênico.

Cozinha e Espaço Gourmet

A bancada central é de uso exclusivo do pai e se prolonga unindo-se com a mesa de refeições de toda a família. As duas cubas são adaptadas e dispõem de torneiras com água quente e fria acionada com alavancas frontais, o cooktop permite aproximação frontal, o forno elétrico e micro-ondas estão dispostos em bancadas baixas e tanto gaveteiros quanto armários utilizam trilhos de correr italianos, permitindo o alcance de alimentos e utensílios.

Suíte do casal

Foi utilizada uma cama biarticulada que permite diferentes posições e ajustes reclináveis realizados por meio de controle manual. Destaque para u uso de cores e texturas (dos papéis de paredes italianos, tecidos e acabamentos importados), para a automação da TV, equipamentos de som e iluminação do quarto (teto, leitura, piso entre outros).

revista casa, projeto e estilo_luxo_02_olrevista casa, projeto e estilo_luxo_03_ol

revista casa, projeto e estilo_luxo_04_ol

revista casa, projeto e estilo_luxo_05_ol

revista casa, projeto e estilo_luxo_06_ol

revista casa, projeto e estilo_luxo_07_ol

revista casa, projeto e estilo_luxo_08_ol

 

Os espaços livres na constituição da forma urbana brasileira

Ana Cecília CAMPOS1; Eugenio QUEIROGA2; Silvio MACEDO3, Fany GALENDER4, Vanderli CUSTÓDIO5, Rogério AKAMINE6, Helena DEGREAS7, João MEYER8

1Pesquisadora LAB-QUAPÁ/FAUUSP Rua do Lago 876, 05508900, Brasil 2Prof. Dr. FAUUSP Rua do Lago 876, 05508900, Brasil3 Coordenador LAB-QUAPÁ/FAUUSP Rua do Lago 876, 05508900, Brasil 4Pesquisadora LAB-QUAPÁ/FAUUSP Rua do Lago 876, 05508900, Brasil 5Profa. Dra. Instituto de Estudos Brasileiros Av. Prof.Mello Morais, trav. 8, no.14, 05508-030, Brasil 6Prof. Dr. Universidade Nove de Julho Av. Dr. Adolpho Pinto, 109, 01156050, Brasil 7Prof. Dra. FIAMFAAM Rua do Lago 876, 05508900, Brasil 8Prof. Dr. FAUUSP Rua do Lago 876, 05508900, Brasil.

QUAPA SEL Pnum 2013
QUAPA SEL Pnum 2013

Introdução

A urbanização contemporânea brasileira, nas duas últimas décadas, apresenta significativas transformações. Em um país com população majoritariamente urbana, está em curso intenso crescimento de cidades de Proceedings of PNUM 2013, Coimbra, Portugal, 27 e 28 de Junho 2013 680 médio e grande porte – as regiões metropolitanas estabelecidas são hoje mais de 50. Verifica-se o espraiamento urbano e funcional, bem como a desconcentração das atividades centrais e industriais em diversos núcleos urbanos. Surgem redes de cidades redesenhando estruturas urbanas: cidades novas ou que experimentam acelerado crescimento urbano, como aquelas em áreas de forte produção agroindustrial. Desde 2012, o projeto interdisciplinar intitulado “Os sistemas de espaços livres na constituição da forma urbana no Brasil: produção e apropriação” (QUAPÁ-SEL II), coordenado pelo Laboratório LAB-QUAPÁ da FAUUSP, investiga relações entre sistemas de espaços livres e a forma urbana brasileira na atualidade, considerando sua produção a partir dos processos socioeconômicos e ambientais, seus aspectos comuns e especificidades locais. Dentre seus objetivos está a construção de referencial metodológico para a análise qualitativa destas relações. Para o estudo de 35 cidades estão sendo elaborados mapas de tipologias que embasam e são, ao mesmo tempo, resultado direto das discussões conceituais. Aplicados aos diferentes graus de complexidade das manchas urbanas, os mapas relacionam as seguintes categorias: parcelamento do solo, espaços livres intraquadra e volumes construídos, em conformidade ou não com a legislação. Possibilitam leituras diversas, combinando as variáveis listadas, ou isolando seus componentes. Outras variáveis também têm sido trabalhadas: vegetação arbórea intraquadra e viária, áreas não parceladas ou em processo de consolidação, estruturas naturais significativas como matas e cursos d´água, e espaços livres públicos. O estudo comparativo destas cartas entre cidades permitirá estabelecer padrões genéricos e locais tanto estruturais como específicos, caracterizando a paisagem urbana nacional e contribuindo para a elaboração de políticas públicas, sobretudo aquelas que incluem os sistemas de espaços livres como um dos principais elementos estruturantes do tecido urbano. De qualquer maneira, a representação bidimensional desta configuração não descarta a vivência destes locais e outras formas de apreensão enquanto método, que podem complementar e enriquecer a leitura.   artigo completo: PNUM2013

Bicicletas em São Paulo: pesquisa sobre a influência do traçado das ruas na implantação do sistema cicloviário

Helena Napoleon DEGREAS¹; Paula KATAKURA²; Maria Isabel
IMBRONITO³
¹Prof. Dra. Centro Universitário FIAMFAAM
Av. Lins de Vasconcelos, 3406 – São Paulo, SP, Brasil
helena.degreas@fiamfaam.br
²Prof. Dra. Centro Universitário FIAMFAAM
Av. Lins de Vasconcelos, 3406 – São Paulo, SP, Brasil
pkatakura@fmu.br
³Prof. Dra. Centro Universitário FIAMFAAM
Av. Lins de Vasconcelos, 3406 – São Paulo, SP, Brasil
imbronito@gmail.com

Palavras-chave: mobilidade urbana, forma urbana, São Paulo, sistema
cicloviário, transporte.

 Corte Via parque- estudo para a adequação Viária da marginal Tietê-Projeto de sinalização da ciclovia autora: Paula Katakura

Foto 1: Corte Via parque- estudo para a adequação Viária da marginal Tietê-Projeto de sinalização da ciclovia autora: Paula Katakura

Resumo

Este texto é parte integrante da linha de pesquisa Mobilidade Urbana e Infraestrutura do Mestrado Profissionalizante em Urbanismo vinculado ao programa de pós-graduação do Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário FIAMFAAM.

Com o objetivo de contribuir para a discussão sobre o tema mobilidade urbana, alunos vinculados ao Escritório Modelo do Curso de Arquitetura e Urbanismo vem desenvolvendo pesquisas que consistem no levantamento da legislação, dados, estatísticas, estudos de caso para o planejamento cicloviário no município de São Paulo. Paralelamente, foram elaboradas fichas de avaliação das ciclovias (separação física isolando os ciclistas dos demais veículos), ciclorrotas (trechos (sinalizados ou não), que representam a rota recomendada aos ciclistas) e ciclofaixas (faixa pintada da rua/avenida reservada aos ciclistas), ciclofaixas operacionais de lazer (fechamento de faixas nas ruas e avenidas em caráter temporário para uso exclusivo de ciclistas) e bicicletários (local de estacionamento exclusivo de bicicletas), no que concerne aos aspectos espaciais (projetos implantados, inclinações, morfologia do terreno e declividades, qualidade do piso, barreiras construtivas, existência de equipamentos e mobiliários, contexto urbano entre outros), de inserção junto ao sistema estrutural viário e de transportes e também quanto à qualidade da sinalização implantada para a orientação e segurança do ciclista, do pedestre e do motorista.  Identificados e mapeados os espaços e rotas destinados aos usuários de bicicletas na cidade, os alunos iniciaram a aplicação das fichas e a redação dos relatórios de visitas técnicas. Este material vem subsidiando a elaboração de um diagnóstico pelos pesquisadores do programa de pós-graduação, gerando diretrizes para o planejamento cicloviário associado a um plano de mobilidade urbana do município.

 

texto original: ATAS PNUM2013