Acessibilidade é tema da Suíte do Bebê no Casa Cor Campinas

Este release foi enviado por duas colegas arquitetas que participaram da Casa Cor Campinas. Considerei o material muito bom para vocês alunos, pois oferece informações úteis para a elaboração de um quarto de bebê acessível.

” Como projetar um quarto para receber um bebê e sua mãe deficiente visual com conforto, praticidade e de maneira inteligente? Com esta proposta, as jovens arquitetas Mel Godoy e Mariana Reginato integram o Casa Cor Campinas 2010 e apresentam um espaço onde a acessibilidade é peça chave para que as atividades cotidianas sejam executadas com total autonomia e segurança.

Denominado Suíte do Bebê Ver e Sentir e com 17m², o ambiente é planejado e decorado para uma mãe deficiente visual. Com a ideia de projetar um espaço amplo, no qual a mãe consegue cuidar de seu bebê com liberdade, Mel Godoy, que tem na sua formação a especialização em acessibilidade, pensou nos mínimos detalhes. O quarto é integrado ao banheiro e os cuidados para que a mãe distingua uma área de outra começam pelo piso, que não tem desníveis, mas texturas distintas. “Detalhe também nas paredes, que são revestidas com papéis texturizados, oferecendo a possibilidade de percepção através do tato”, conta Mel.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além de focar na acessibilidade, onde a disposição dos móveis e o espaço de circulação merecem cuidado, as arquitetas trabalharam de forma a explorar os outros sentidos da deficiente visual, como o tato – compondo o ambiente com materiais de texturas e aplicações diferentes –,  audição e olfato, com sons e aromas.

Os móveis são arredondados, o que evita acidentes com cantos, e a cômoda conta com puxadores em braile, para a mãe saber quais são as peças de roupas que estão nas gavetas. O mesmo sistema de leitura com o tato estão nos utensílios do bebê, como potes que contém algodão e cotonete.

O ambiente é totalmente automatizado, contando com um sistema semelhante à babá eletrônica e um outro que permite, com apenas um toque, controlar o som, a iluminação e a abertura das persianas, de acordo com a intensidade de luz desejada. A decoração segue um estilo provençal com o moderno e as cores predominantes são offwhite, palha, branca, areia e marrom.

Para as jovens arquitetas o maior desafio neste projeto foi proporcionar autonomia para a mãe deficiente visual. “Trabalhamos cuidadosamente para que a acessibilidade e autonomia da mãe nesta suíte fossem garantidos. A mãe pode controlar o ambiente mesmo não enxergando o espaço”.


Ficha Técnica:

Arquitetas: Mel Godoy e Mariana Reginato

Local/data da exposição: Casa Cor Campinas, que acontece de 03 de Setembro a 12 de Outubro de 2010, no Royal Palm Plaza Resort Campinas

Alunos: se precisarem de informações sobre equipamentos e mobiliários, cliquem aqui

 

2 pensamentos sobre “Acessibilidade é tema da Suíte do Bebê no Casa Cor Campinas

  1. Pingback: Referencia para alunos da FMU - Mel Godoy - Arquitetura Acessível

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s