Sobre plantas e maquetes táteis: execução do sambódromo (diário de sala)

Este projeto surgiu como proposta complementar para o Carnaval 2011 que vem sendo desenvolvido com a SPTuris e FIAMFAAM Centro Universitário com o precioso apoio da Fundação Dorina Nowill para Cegos

Como atividade vinculada ao escritório-modelo do Curso de Arquitetura e Urbanismo, um conjunto bastante significativo de alunos, voluntariou-se para colaborar numa tarefa bastante difícil: como mostrar o sambódromo (planta em PDF) e o espaço para evolução de uma escola de samba?

O Desafio:
1. Como podemos colcaborar com um Deficiente Visual ajudando-o a compreender as características arquitetônicas e espaciais de um complexo de edificações que constituem o sambódromo de São Paulo?
2. Será que por meio de nosso trabalho conseguiremos colaborar na compreensão de como se dá o desenvolvimento da apresentação de uma escola de samba.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vamos construir objetos que servirão de tecnologias assistivas.

1.Vamos representar como uma planta de implantação das edificações do sambódromo? e para que serve a planta tátil? como é usada?

Planta tátil: seu uso é destinado para a orientação espacial

A orientação espacial dentro dos edifícios ou em áreas urbanas ocorre a partir da percepção do posicionamento que os objetos tem uns em relação aos outros. Como os deficientes visuais (para o caso dos cegos) não são capazes de apreender toda a situação a partir do olhar ou de uma imagem geral, é importante que a compreensão da organização, relacionamento, distância e organização entre objetos, edificações e arquiteturas possam ocorrer por meio de outros mecanismos.

A percepção do conjunto de edificações, localização e distribuição do complexo de edificações que compõem o sambódromo será viabilizada por meio de uma planta tátil de localização ou de implantação. Isso dará a oportunidade do Deficiente Visual compreender as relações espaciais entre os edifícios. A manipulação da planta tátil por diversos ângulos (a planta será colocada sobre uma mesa)  associada à memorização (repetição da leitura organizando uma sequência de situações) colaborará na formação dos conteúdos necessários para a orientação do deficiente visual.

Em seguida, inseri uma série de imagens do Guia Tátil (planta táil): complexo Padre Chico executado em 2005.

Objetivos:

Planta tátil do Pólo Cultural e Esportivo Grande Otelo

– A planta será realizada na escala 1:750 (0.50m x 1.50m x 0.04m) e poderá ser colocada tanto sobre mesa quanto fixada na parede.
– Identificação dos edifícios que serão representados; identificação das áreas permeáveis que serão representadas; identificação das circulações e pisos que serão representados; identificação dos cercamentos que serão representados; identificações dos viários de entorno que será representados.
– Definição do uso de fonte Verdana 24, ou maior para escrita dos textos;
– Planta tátil será construída com poliestireno em três cores, a saber: branco, preto e vermelho (edifícios), piso do sambódromo em branco e viário do entorno em preto.
– Os textos serão confeccionados em vinil adesivado branco com texto impresso em preto e vinil adesivado preto com texto impresso em branco. Não haverá texto impresso sobre as edificações que estão em vermelho.
– Tanto textos impressos quanto textos em Braille obedecerão a NBR9050.

Maquete Tátil: Arquibancadas e Camarotes (setor B)

– A maquete tátil será realizada na escala 1:100 (0.24m x 1,28m x 0.50m) e poderá ser colocada sobre mesa; Sua base tem medidas de 0,06m x 0,80m x 1,40m.
– Deverá representar a forma (volume – cheios e vazios), proporções, escalas, estrutura da edificação, afim de dar noções de espacialidade ao deficiente visual.
– Definição do uso de fonte Verdana 24, ou maior para escrita dos textos.
– Os textos serão confeccionados em vinil adesivado
– Ainda será decidido se haverá ou não a diferenciação de cores na maquete, ou se será mantida a uniformidade da cor do MDF envernizado.

Ficha Técnica do Sambódromo:

Nome real do local:
Pólo Cultural e Esportivo Grande Otelo

Assessoria e consultoria técnica voluntária em maquetes
Prof. Ângelo Pinheiro

Alunos (comprometidíssimos) voluntários
Andréia da Rocha, Christofer Carvalho, Alexandre Vinícius Appel, Aline Oliveira Janas, Henrique Matuchita Viana, Fabiana da Silva Queiroz, Aline Pinho Linguanoto, Talitha Chiovetto, Gabriel Presto, Cleber Sakin Hanashiro, Juliana Escribano, Cleidnalva Ferreira de Araújo, Michele Medeiros

Planta tátil do Sabódromo

Materiais:

Chapas (2,00m x 1,00m) de poliestireno (ps)
1 chapa de 1mm preta
1 chapa de 1mm branca
1 chapa de 2mm vermelha
Cola Spray 3m “77” – 3 latas
Cola Branca – 1kg
Cola adesivo instantâneo CA 40 – 2 tubos grandes
Verniz em spray ColorGin Decor spray multiuso
Loja: Vick

MDF
mdf 3mm – 1 chapa de 1,00m x 0,50m
mdf 9mm – 1 chapa de 1,40m x 0,50m
mdf 12mm – 2 chapas de 0,80m x 0,30m
Sarrafos (cedrinho aparelhado) de +/-  2,5cm x 5,0cm
2 barras de 1,40m
4 barras de 0,50m
2 barras de 1,00m

Loja: Peg&Faça

Construção da Planta Tátil: algumas imagens


trabalho de muiiittttaaa paciência…


delicadeza….. preparando a massa que servirá para idenificação das áreas permeáveis – jardins

Planta Tátil

Embora parcialmente pronta, ainda falta adesivar o texto em tinta e o texto em Braille.

ai, meu Deus… não sabemos ler o alfabeto Braille… ainda bem que conseguimos o material da FDNC… a identificação e leitura será visual mesmo… para quem tem presbiopia como eu, não vai dar… mas os meninos que são jovens, conseguem… rsrsrs


adesivaradesivardesivaradesivaradesivaradesivaradesivarasesivaradesivar

envenvernizando a planta tátil sob um sol de 35oC - só os fortes sobrevivem...

Hora do rango, bóia… porque ninguém é de ferro… como estão todos sem tempo, esfihas do Habib’s… umas cem aproximadamente…
Desculpem a foto, está com a cara de fim de feira, mas como estavam todos com fome, só lembramos de fotografar os restos… na maquetaria mesmo… rs

Maquete Tátil: Arquibancadas e Camarotes (setor B)

Materiais

MDF
mdf 3mm – 1 chapa de 1,40m x 0,80m
mdf 6mm – 1 chapa de 1,40m x 0,80m
mdf 12mm – 1 chapa de 1,40m x 0,80m
Sarrafos (cedrinho aparelhado) de +/-  2,5cm x 5,0cm – 2 barras de 1,40m

Loja: Peg&Faça

1.Vamos representar a arquibancada principal do sambódromo? e para que serve uma maquete tátil? como é usada? ela é diferente de uma maquete feita para videntes?

Maquete Tátil: seu uso é destinado para a percepção da forma, do volume, das estruturas, das proporções, dimensões e dependendo da escala, dos detalhes construtivos de uma edificação explorando os demais sentidos. Portanto, é possível incluir contraste de cores para atender aos usuários com baixa visão, ou ainda som com o objetivo de complementar informações não atendidas pela maquete e também odores. O tato é por assim dizer, mais uma das possibilidades de compreensão das arquiteturas.

Construção da Maquete tátil: algumas imagens

preparando o tabuleiro: a maquete é feita de MDF e será manipulada pelos DVs para compreensão. precisa ser firma, rígida, sólida enfim… por isso a base reforçada.

Pensando e discutindo com o Prof. Ângelo os objetivos da maquete tátil. Resumindo, o que deve ser mostrado e como fazer com que os conteúdos sejam inteligíveis para os DVs. Foi decidio então que a maquete deverá ressaltar dimensões (a partir da escala humana), proporções e as principais características arquitetônicas (forma das arquibancadas, das estruturas de concreto, a localização das principais funções tais como sanitários, camarotes, acessos entre outros). A partir daí, o grupo optou por construir a maquete tátil na escala 1:100, mais adequada para apresentar os objetivos definidos.


Depois de imprimir o material em papel e estudar a melhor forma para construí-la, os alunos dividiram-se me grupo e iniciaram o desenho e o corte das peças. Nessa foto, os launos estão lixando a estrutura de concreto que sustenta a arquibancada.

Todas as 19 peças são revistas para que tenham o mesmo tamanho. por que 19?!?


É que a professora acabou quebrando uma delas… delicadeza zero…



Como o trabalho todo é manual, artesanal, algumas revisões são necessárias: de volta à serra de fita pois…


agressivos? não… #diversão pura num sábado calorento…

E não é que está ficando bem legal? foto do esqueleto da arquibacanda principal.


Acima, grupo feliz com o trabalho do dia.

Abaixo, também

hoje, 19.02.2011

Já são 16h.  Ainda estão animados. Tentamos ouvir todos os sambas das escolas estudadas mas o modem 3G da #CLARO não serve para nada…

Retomando os trabalhos: alguns começaram a ficar estranhos… sei não…

será o calor? a fome? a sede? abstinência de sono?

ou será a pressão do prazo?????

acho que foi o excesso de açúcar... deixou todo mundo elétrico... criança é assim mesmo...

Vamos todos agradecer à Profª Alessandra, grande fornecedora de biscoitos, bolos… ai, meu Deus, como é bom… rsrsrs

Alguns excessos vêm acontecendo entre eles… é a idade…

falta espaço... sobra vontade...😀

Dia 22.02.2011, 20h.

Todo o grupo reunido para terminar a maquete tátil da arquibancada monumental. Vocês estão vendo?!?

acabou a energia elétrica... as serras não funcionam...

Fechando a maquetaria com CHAVE DE OURO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
A-CA-BA-MOS antes do prazo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Enredo (áudio do samba)

Camisa Verde e Branco
Paulista viva, vista a camisa.
A mais paulista das avenidas Compositores
:

Mestre Ideval, Dica, Diego Santos e Fabiano Brandão

Rosas de Ouro
Abre-te Sésamo: a senha da sorte

Mocidade Alegre
Carrossel das Ilusões
Douglas, Edmilson, Marcio Bueno, Igor Leal, Rodriguinho e Victor Alves

 

Mais sobre o assunto em:

Vídeo sobre a finalização e agradecimentos aos participantes

Saiu na mídia
Deficientes Visuais Visitam escola de samba na zona norte de São Paulo
Deficientes Visuais vivenciarão o carnaval de São Paulo
Carnaval Acessível de São Paulo 2011: Só não vê quem não quer

Carnaval de São Paulo lança projeto, ‘Só Não Vê Quem Não Quer’
Carnaval 2011 de São Paulo contará com ação para inclusão de pessoas com deficiência visual

Carnaval 2011 de São Paulo terá inclusão de deficientes visuais

“Só não vê quem não quer” seleciona participantes

Carnaval de SP pretende levar deficientes visuais ao sambódromo

Carnaval 2011 de São Paulo terá inclusão de deficientes visuais

Deficientes visuais também acompanharão o Carnaval 2011
Carnaval 2011 de São Paulo terá inclusão de deficientes visuais
Inclusão sóciocultural na Mocidade Alegre
http://vascopresscom.blogspot.com/

Alunos e Professores mostram suas produções para o carnaval
FMU apresentou maquetes táteis do carnaval 2011 para pessoas com deficiência Visual

TV
Projeto abre as quadras de escolas de samba para deficientes visuais


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s